28.12.11

Apropriação reversiva em louvor de uma "noite de Natal"

Perplexidade


Luminosa era a hora que passava
E breve o sinal que nos fazia.
Mas como um não sei quê nos demorava
A hora que passava ia vazia.


Que aceno levaria a nossa vida
Um pouco mais além? - Hesitantes
Invocadores de céus! Constantes
Amadores de terra estremecida.


Não vamos nem ficamos todavia.
A uma vaga saudade nos prendemos
Entre a pedra do chão e a noite fria
Entretidos a amar o que não temos.

João Maia, in Jorge de Sena, op.cit. p.103

A minha versão seria ;)


Luminosa era a hora que passava
E auspicioso o sinal que nos fazia.
Mas como um sabemos quê nos apressava
A hora que passava ia cheia.

Que aceno levará a nossa vida
Muito  mais além? - Firmes
Moradores de céus! Constantes
Amadores da estrela estremecida.

Fomos e ficamos em harmonia.
Ao "tempo do coração" nos prendemos
Entre as mantas da cama e a noite fria
Entretidos a amar tudo quanto temos somos.



Sem comentários: