31.7.05

Ouro sobre Azul

O mês de Julho no Azul Cobalto é ouro sobre azul. Genial e hilariante o post "Agora toda a gente tem dicionários. Também quero". Brilhantes todos os outros posts, entre tantos destaco, "Por assim dizer".
Deveres de Verão

Ontem regressei a casa para regar as plantas do terraço :)
Amanhã: secretaria da escola esclarecer uma incorrecção num documento,
enviar papelada urgente.
Deveria aproveitar as férias para avançar nos trabalhos de pesquisa e escrita,
mas ...

30.7.05

Taken by Surprise

I thought
the touch of your body
was forgotten
by this lazy flesh
...
yesterday
lying in the deep
suddenly
my body went to you
and spend the night
in your dreams

29.7.05

Impressões Avulsas- depositadas no "palácio encantado da memória"

Desvelar indícios de beleza. Captar facetas da realidade aparentemente invisíveis.

Sexta-feira 22 de Julho

derradeiro serviço de exames deste ano lectivo moribundo.

Segunda-feira 25 de Julho primeiro dia de férias - (um daqueles dias em que tudo desliza, tudo funciona na perfeição, os autocarros partem sem qualquer atraso, os motoristas mostram-se civilizados e prestáveis, as repartições abrem à hora certa, os funcionários revelam a sua gentileza, obtemos todos os documentos almejados ... )

no autocarro a caminho da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova.

sob a ponte um banco de névoa divide o rio em dois, feito ilusionista manipula os cacilheiros, eis que desaparecem ... eis que assomam

entre a paragem e a faculdade abundância de funcho muito seco, mas particularmente aromático, silvas com algumas amoras já maduras.

no campus uma pereira carregada de pequenos frutos verdes.

secretaria da Fundação inscrevo-me sem delongas no colóquio.
secretaria de pós-graduados obtenho os documentos pretendidos
reunião muito profícua e simpática
breve estágio na paragem
autocarro Berna
metro Rato
filha e sobrinha


ao almoço manifesta-se o senão do belo dia, pasme-se: polvo à lagareiro confeccionado com outro óleo vegetal que não o de azeitonas, e a consistência de pastilha elástica. mas há uma criança, há sol e há vento,há pedaços de céu, numa esplanda com vista para as árvores.
Caminhada retemperadora.

Terça-feira - dia ímpar apesar de par
não pode ser melhor

um almoço que procura ser uma viagem ao tempo em que ia ao Dragão d'Ouro com a minha mãe. o dragão já não cospe fogo divino.

primeiro banho de mar do ano
caminhada
falésias
névoa
vento
bolo de 3 chocolates: massa de chocolate,recheio de mousse de chocolate, cobertura de mousse de chocolate branco.
banho de chuva
sucessão de quadrados de relvado e de árvores acompanhando o rio
um tabuleiro da ponte suspenso do nevoeiro
um daqueles momentos de fusão com o mundo
devo aceitar que não tenho capacidades, nem tempo, para apreender uma milésima parte daquilo que gostaria de conhecer.
banho de chuva
banho de banheira

........................................................


gosto mesmo de bisbilhotar os produtos alimentares nos/dos supermercados chineses e indianos: toda aquela parafernália de especiarias, de molhos, de conservas, de vegetais frescos e secos, de vinhos de arroz, de ... de ... mei kuei lu chiew é que há só uma

viciada em chá vermelho - que já conhecia, mas só agora me deu para abusar dele, - e bombons de gengibre, uma delícia doce no ponto, sem exagero e com um travo final picante e o que dizer dos crocantes de sésamo?

gosto mesmo de locais de partidas e chegadas: estações, portos, aeroportos ...
estação rodoviária, gente muita, gente muito bonita, bonita, feia, muito feia;
a minha memória de curto prazo anda mesmo uma lástima, até já gosto mesmo de esperar
Atribuição do Prémio: Primeiro Grande Concurso "Confidências e Desabafos de Savarin" sobre Curiosidades da Gastronomia

Extraordinário, estes últimos dias dedicados à pastorícia, triplicaram a energia
de Digitalis: imaginem que ao contrário do que estava previsto, o prémio - um exemplar virtual da Physiologie du Goût - já foi enviado!!!
Primeiro Grande Concurso "Confidências e Desabafos de Savarin" sobre Curiosidades da Gastronomia

Quem foi o Grande Vencedor?

O primeiro lugar vai para o chefe Ardeu a Padaria, que se revelou um estudante exemplar, dono de uma curiosidade, de um apetite incomensurável pelo saber gastronómico e de uma sagacidade fora do comum. Em breve - como é Verão, terá que ter em conta que a brevidade será mais lenta - irá receber o prémio virtual prometido.

Antes de entrarmos em Agosto, esse mês tão peculiar eis as:
Respostas às Perguntas da Primeira Chamada da Primeira Fase



1. Descreva a relação de Alexandre Magno com as macedónias, quer de legumes, quer de frutas.

Aqui há duas hipóteses de resposta, segundo alguns o termo macedónia aplicado à culinária, estabeleceria uma analogia entre os diferentes vegetais cortados em pequenos pedaços quadrados e a técnica de conquista de pequenas porções de território ("pequenas zonas") utilizada por Alexandre Magno. Ver José Eduardo Mendes Ferrão; Maria Emília Cancella de Abreu; Francisco D'Andrada Roque de Pinho, Tesouros da Cozinha Tradicional Portuguesa, (Lisboa, Selecções do Reader's Digest, 1984, p.374. Outros, entre os quais se inclui o Vitorioso respondem assim:
"A expressão culinária Macedónia ,designa uma mistura de vários legumes
ou frutos , aludindo à variedade das raças no império macedónio de
Alexandre III."

2. Explicite a ligação entre a "marmalade", aquele doce/geleia com cascas de laranja finíssimas, que os ingleses adoram, e a Maria Stuart.

Julgava-se que o termo ‘marmalade’ seria uma corruptela de ‘Marie est malade’
e que este doce de laranja seria preparado por uma serviçal francesa no intuito de abrir o débil apetite da frágil rainha dos escoceses.No entanto, há quem conteste a veracidade desta explicação:

"A l'époque de Marie Stuart la gastronomie française était de rigueur, du moins à la cour. Il y a une légende qui explique la'marmalade' comme étant un dérivatif de 'Marie est malade'. Une jolie histoire, mais totalement inexacte. Ce terme existait déjà en 1480; il venait du portugais 'marmelo', un coing. Par contre, les'petty coat tails', biscuits sablés de forme arrondie étaient à l'origine des 'petites gatelles', une friandise très appréciée par Marie."


3. O que terá levado Vatel a cometer suicídio, de acordo com Madame de Sévigné?


Vatel (1631 - 1671) tornou-se célebre ao serviço de Foucquet e, posteriormente, do príncipe de Condé. Mais do que cozinheiro foi o responsável por todas as compras e organização das refeições de quem servia. Com o objectivo de agradar ao rei Luís XIV,e obter um financiamento do monarca, o príncipe de Condé encomendou a Vatel um grande banquete para o qual, além do rei, foram convidadas 600 pessoas. O banquete iria prolongar-se por três dias. No segundo dia, Vatel, ao constatar que o peixe que esperava de madrugada, devido às marés, não pudera ser pescado, encostou a sua espada à porta do quarto e, precipitando-se sobre ela, matou-se.

4. Identifique a rainha, outra cabeça lançada ao ar, considerada uma verdeira especialista a preparar merengues.

Maria Antonieta, a tal que mandou o povo comer brioches e acabou na guilhotina, "era uma verdadeira especialista na preparação de merengues" ver José Eduardo Mendes Ferrão; Maria Emília Cancella de Abreu; Francisco D'Anrada Roque de Pinho, op.cit, p. 375. Mas o JP, o grande vencedor, referiu com argúcia, Marie Leszczynska, futura esposa de Louis XV, que também preparava merengues e os introduziu na corte francesa.
Mais informação:
On dit également que la recette de la meringue fut introduite en France, et plus spécialement en Lorraine, par Marie Leszczynska. Cette recette parvint bientôt à Versailles, où, plus tard, Marie-Antoinette la répéta souvent de ses propres mains. Les bouchées à la reine, connues aussi sous le nom de vol-au-vent, furent aussi une spécialité de Marie Leszczynska. En Lorraine, on les farcit d'un délicieux mélange de ris de veau, de veau, de jambon et de champignons liés à la crème fraîche.

5. Explique o que é uma Pavlova, e porque se chama assim.

Uma sobremesa com merengue,Chantilly e fruta fresca que foi baptizada com este nome, para homenagear a bailarina Anna Matveyevna Pavlova e por ser tão delicada
quanto ela.

A origem desta sobremesa "mais leve do que o ar" é disputada por australianos e neozelandeses.

Segundo os australianos o chefe do Hotel Esplanade em Perth, no ano da graça de 1935, Herbert Sachse, criou a pavlova para celebrar a visita da grande bailarina russa, Anna Pavlova. De acordo com os neozelandeses em 1929 foi publicada uma receita de Pavlova, na Nova Zelândia. Ambos os países a consideram como sendo "a sobremesa nacional".
A luta continua...

6. Qual a razão de ser do "Pêche Melba"?

O Pêche Melba foi uma criação de Auguste Escoffier elaborada em honra de Nellie Melba, cantora lírica australiana, em 1892/1893, aquando da sua passagem por Londres e estadia no Savoy.

7. Comente a expressão "à la Parmentier."

Eis a resposta do "melhor aluno":

"Antoine Parmentier profetizou que as batatas – então uma novidade
trazida do Novo Mundo , se tornariam o pão dos pobres . Por este
motivo , o seu nome ficou ligado a todos os pratos que incluem a
batata como ingrediente básico."
Parmentier foi um homem dos três ofícios: militar, farmacêutico e agrónomo, foi o grande divulgador do tubérculo na Europa.

Respostas às Perguntas da Segunda Chamada da Primeira Fase

1.Qual a diferença, qual é ela, entre o Kirsch e o Marrasquino,
sabendo que ambas as bebidas são confeccionadas à base de cerejas
selvagens?


O kirsch é uma aguardente, o marrasquino é um licor italiano. No caso do marrasquino, as cerejas são processadas com os caroços e junta-se uma pequena dose de mel na sua confecção.

2. Identifique traços de personalidade comuns entre duchesses, éclairs
e profiteroles.

Resposta do vencedor:

"Todos são feitos com massa de choux e depois recheados."

3. O que nos permite distinguir uma patanisca de um pastel de bacalhau?

Os pastéis são elaborados com batatas, as pataniscas com farinha, os pastéis são ovais e a pataniscas achatadas .


4. A chanfana, na Beira Alta é correntemente designada por

Lampantana.

5. Em determinadas zonas de Portugal, nomeadamente na Beira Litoral,
moira é um sinónimo
de salmoura

ou, se estivermos a falar de enchidos, cacholeira ou negra .


6. Bavarois e Bavaroise, partilham a mesma identidade, ou são apenas parentes?


São parentes. As bavaroises, bebidas quentes pouco alcoolizadas, preparadas com chá, café, sumos de frutas, chocolate, etc, e, os pudins bavarois, os quais se diz serem derivados das primeiras. De facto, os primeiros bavarois foram preparados por meio da mistura de outros elementos às primitivas bavaroises. A bavaroise inaugural, de chá, teria sido criada no século XVII na corte do rei da Baviera, o que explicaria a designação.


7. Mornay e Soubise estão para molho Béchamel como désirs e
profiteroles para massa de
choux

Segunda Fase - Chamada Única

1. O que se entende por gastronomia molecular?


A gastronomia molecular tem por objecto explicar o universo das transformações culinárias.

Para isso recorre a procedimentos científicos, no intuito de descodificar os processos tradicionais da culinária, testando práticas correntes .

2. Quais os seus objectivos fundamentais?

A gastronomia molecular tem cinco objectivos fundamentais:

# de antropologia culinária: o recenseamento e a exploração físico-químicas das "dicas", e dos costumes culinários;
# de matemática culinária: a padronização das práticas culinárias clássicas - dos gestos, dos métodos, das receitas - com vista ao seu aperfeiçoamento;
# de experimentação:a introdução de utensílios, métodos e ingredientes novos na cozinha doméstica ou de restauração;
# de inovação: a invenção de novos pratos fundada nas análises dos métodos clássicos e nas pesquisas efectuadas;
# de vulgarização/divulgação: a apresentação das ciências junto do público, através da análise dos gestos culinários;

3. Entre fundadores e praticantes, mencione dois dos ilustres representantes da gastronomia molecular.
Peter Barham, Nicholas Kurti, Hervé This, Pierre Gagnaire,Heston Blumenthal e Ferran Adriá

4. Porque não se deve adicionar ananás ou kiwi frescos a uma preparação com gelatina?

Porque o ananás fresco pode impedir a gelatina de solidificar, pois contém uma enzima, a bromelaína. Esta enzima destroi qualquer estrutura molecular de proteínas que lhe aparecer pela frente, funcionando como uma espécie de tesoura que corta as ligações entre alguns dos aminoácidos impedindo a formação de uma rede tridimensional. Ler mais aqui e aqui

5.Pensa-se que o uso mais frequente de especiarias na culinária dos países quentes terá por finalidade prolongar a conservação ou atrasar a degradação dos alimentos.

6. Ao juntar açúcar e gemas deve mexer-se, imediatamente, a mistura, a fim de evitar que o açúcar coagule as gemas, uma vez que o açúcar é hidrofílico e pode "sugar" a água contida nas gemas.
Saber mais aqui.

7. Um dos fundadores da gastronomia molecular descobriu, que o aumento de volume do soufflé é um efeito:

b) da evaporação da água a partir do fundo do ramequin.

22.7.05

Impressões da Manhã à Noite

Na orla da manhã

acordo

na-luz-com-a-luz-para-a-luz
no céu ainda dormente
o vento balouça nas cortinas

acordo

no apitar da chaleira
no vapor do café
o gosto das framboesas

acordo

na água
a roupa

da varanda vejo a calçada
as árvores
sobre e sob vou andar

20.7.05

O Mistério de Oberwald


Revi O Mistério de Oberwald a 22 de Setembro de 1996, em Montemor-o-Novo, durante o 4º Festival, luso-italiano, "Sete Sóis Sete Luas", de cuja programação fazia parte um Ciclo de Cinema Michelangelo Antonioni. O festival abriu com a projecção do seu filme mais recente, na época - realizado com o apoio de Wim Wenders, Para Além das Nuvens. Os organizadores do festival convidaram Antonioni e promoveram um encontro do realizador com o público no Auditório da biblioteca - embora já não conseguisse falar, devido a um grave problema de saúde, Enrica Antonioni, sua dilecta esposa desempenhou o papel de porta-voz - seguido da projecção de Fare un Filme e per me Vivere, filme sobre a rodagem de Para Além das Nuvens. Em virtude, do seu precário estado de saúde, no momento, pensei que seria o último filme rodado por Antonioni, mas realizou mais três.

Aquando do referido ciclo, redigi um texto sobre o Mistério de Oberwald no qual se estabelece uma aproximação entre cinema e pintura, a propósito do uso simbólico da cor.

Entretanto, fiz uma adaptação - para não ser total auto-plágio - do texto que escrevi, na altura, para publicar aqui no Digitalis:

Em O Mistério de Oberwald, um filme assumidamente experimental, Antonioni segue uma tendência presente em pintores como Delacroix, Van Gogh, Matisse, Kandinsky, Klee: a tentativa de expressar vivências emocionais através do uso simbólico da cor. A leitura do Diário de Delacroix, das Reflexões de Matisse ou das Cartas de Van Gogh revela afinidades estéticas comuns entre os pintores e o cineasta. Neste sentido, é interessante estabelecer algumas analogias entre declarações de Antonioni a propósito das suas experiências com as cores - no Mistério e no filme O Deserto Vermelho – no intuito de obter efeitos não realistas mas psico-narrativos, com tentativas idênticas descritas por Van Gogh, recorrendo o Antonioni a técnicas electrónicas, o corrector de cor, em substituição das tintas e pincéis.
A propósito, afirmou o realizador: “Eu sempre senti a necessidade de usar a cor de modo funcional face à narração. Como não há dúvida que a cor tem uma força psicológica própria, nada melhor que a cor para ajudar a sugerir emoções.”
Por seu turno, escreveu Van Gogh ao irmão Theo: “Não sei se alguém antes de mim falou em cores sugestivas (…). A pintura remove sentimentos que as palavras apenas podem exprimir de uma maneira vaga… e esse dom mágico emana em grande parte da cor (…). É uma cor não localmente verdadeira segundo o ponto de vista realista, mas uma cor sugestiva de uma emoção qualquer, do ardor de um temperamento (…) porque em vez de tentar reproduzir exactamente o que vejo uso mais arbitrariamente a cor para me expressar com evidência. Expressar o amor entre os amantes pelo casamento de duas cores complementares, pela sua misteriosa oposição e pelas vibrações misteriosas de tons afins (…). Procurei exprimir com o vermelho e o verde as terríveis paixões humanas…”
No filme encontramos vários exemplos de cenas e efeitos que se assemelham aos referidos por Van Gogh: a sequência nocturna do temporal onde o verde é a cor predominante; as flores que se tingem de escarlate quando a rainha evoca o assassinato do marido; ao longo da estonteante cavalgada da rainha no bosque, ao som de Brahms, a montanha colora-se de azul, o céu cor de fogo, os verdes estriam-se de rosa, o cavalo branco fulge sob reflexos dourados. Antonioni declarou que pretendeu colorir o écran para fazer aparecer a tonalidade do sentimento que invade o personagem num dado momento – o turquesa associado à esperança, o verde à intriga, o cinzento à angústia, o violeta à ambiguidade …

Tal como Van Gogh concluiu, lucidamente, acerca da eficácia, junto do público, do uso expressivo da cor nas suas obras ? “Oh meu caro … e as pessoas simpáticas só verão o exagero como caricatura.” ? Michelangelo estava consciente dos limites técnicos da sua experiência: “Na prática ‘pinta-se’ o filme a par e passo enquanto ele está a ser rodado … Em suma, a câmara de vídeo permite imaginar mais … Não posso dizer que tenha explorado exaustivamente as possibilidades oferecidas pelo suporte electrónico: certos efeitos que eu tinha em mente não pude realiza-los por causa do estado actual da técnica.”

Logo, logo escreverei mais qualquer coisa e publicarei a bibliografia.

18.7.05

Confidências e Desabafos de Savarin (104)

Pergunta

Será que o famoso chefe inglês Heston Blumenthal dono do The Fat Duck - eleito "o melhor restaurante do mundo", pela revista britânica Restaurant, em Abril do corrente ano,e restaurante do ano Michelin em 2001 - se terá inspirado no pudim do Abade de Priscos, para criar o seu SMOKED BACON AND EGG ICE CREAM?

Alguns frutos de suas experiências figuram no menu-degustação. É o caso do já famoso sorvete de bacon defumado e ovos. O sabor é inusitado, e a fórmula de preparo é curiosíssima: o bacon é assado em temperatura baixa e marinado no leite para "encapsular" seu sabor levemente adocicado. O prato leva 24 gemas batidas com glicose líquida.
Primeiro Grande Concurso "Confidências e Desabafos de Savarin" sobre Curiosidades da Gastronomia

Segunda Fase - Chamada Única
Tema: A Ciência na Cozinha


1. O que se entende por gastronomia molecular?

2. Quais os seus objectivos fundamentais?

3. Entre fundadores e praticantes, mencione dois dos ilustres representantes da gastronomia molecular.

4. Porque não se deve adicionar ananás ou kiwi frescos a uma preparação com gelatina?

5.Pensa-se que o uso mais frequente de especiarias na culinária dos países quentes terá por finalidade ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------.

6. Ao juntar açúcar e gemas deve mexer-se, imediatamente, a mistura, a fim de evitar que ---------------------------------------------------------------------- .

7. Um dos fundadores da gastronomia molecular descobriu, que o aumento de volume do soufflé é um efeito:

a) da dilatação das bolhas de ar, sob a acção do calor?

b) da evaporação da água a partir do fundo do ramequin?

14.7.05

Reminiscências - em fermentação

Nos belos tempos de estudante de licenciatura, a viver à conta dos progenitores, todas as Quintas-feiras ia almoçar num restaurante diferente, com a minha amiga Ana. Seguia-se uma sessão de cinema, a visita a uma exposição, e ou livrarias - frequentemente a Bertrand da Avenida de Roma - a aquisição de chocolates, tâmaras, requeijões; o lanche - taças de gelado - umas voltas pedestres, e casa. A Quinta-feira era um dia reservado aos prazeres dos sentidos e do intelecto, o nosso programa regia-se pelos equilibrados princípios de epicurismo.

Recordo-me de muitos dos filmes que vimos nesse ano lectivo, Woody Allen: Manhattan; Werner Fassbinder: As Lágrimas Amargas de Petra Von Kant, Lili Marleen, Veronika Voss, O Casamento de Maria Braun; Alain Resnais: Nuit et Brouillard, Mon Oncle d'Amérique; Volker Schlondorff: O Tambor; François Truffaut: O Último Metro; Claude Lelouch: Les Uns et Les Autres; Manuel de Oliveira: Francisca; Antonioni: O Mistério de Oberwald ...
Feliz Aniversário!

As minhas felicitações ao autor do Miniscente pelo segundo aniversário de um blogue, argutamente, plurifacetado.

11.7.05

Perplexidade

O destino dos lisboetas será mesmo viver de costas para o rio? Com a Expo -apesar de todas as confusões - e a criação de espaços de lazer à beira-rio procurou modificar-se, para melhor, a relação Lisboa-Tejo. Avançou-se, e agora recua-se? Com base em razões mesquinhas e obscuras pretende-se privar a população de um espaço privilegiado.
O desgoverno de Lisboa será imparável?
O Grilo

Ontem, quando me fui deitar ponderei fechar a varanda do meu quarto, prevendo uma possível interrupção do sono, pelos ruídos - de carros, corujas e bêbedos - vindos da rua, ao longo da noite. Mas, a transparência grácil da cambraia movida pela aragem, convenceu-me a deixar as portadas abertas.

Do fundo de um sonho, um grilo esganiçado fez-se ouvir, em grande desatino, junto à cabeceira da cama. Como não se calava, mudei de quarto, li uns apontamentos sobre o "Annus Mirabilis" de Einstein, pensei num qualquer tu, e devo ter adormecido, porque hoje acordei.
Domingo - fim de tarde

A cortina esvoaça enlaçada pela luz. Uma luz que não cabe em nenhuma definição, descrição ou poema. Momentos suspensos numa janela do tempo.

A sala, as pessoas, o diálogo, a leveza do tecido, diluem-se nos últimos reflexos do crepúsculo.

10.7.05

Clausura

Somos monges enclausurados nos nossos próprios: cérebro/mente, aparelho psíquico+respectivas instâncias, alma/espírito, enfim o que lhe queiram chamar ...
Eis que apetece saltar pela janela da cela, trepar os muros do claustro, abalar.
Primeiro Grande Concurso "Confidências e Desabafos de Savarin" sobre Curiosidades da Gastronomia

O ilustre e sábio cozinheiro segue à frente, em grande estilo, como já era de prever.

Segunda Chamada da Primeira Fase



Tema : Diferenças e semelhanças entre termos gastronómicos:


1. Qual a diferença, qual é ela, entre o Kirsch e o Marrasquino, sabendo que ambas as bebidas são confeccionadas à base de cerejas selvagens?

2. Identifique traços de personalidade comuns entre duchesses, éclairs e profiteroles.

3. O que nos permite distinguir uma patanisca de um pastel de bacalhau?

4. A chanfana, na Beira Alta é correntemente designada por ---------- .

5. Em determinadas zonas de Portugal, nomeadamente na Beira Litoral, moira é um sinónimo de ------- .

6. Bavarois e Bavaroise, partilham a mesma identidade, ou são apenas parentes?

7. Mornay e Soubise estão para molho Béchamel como désirs e profiteroles para massa de ----- .


Nota: As soluções das três chamadas serão publicadas no final do concurso.

9.7.05

Tarefas Interessantes


33300303333000033003
00003333330033300033
00003333000000003333
33333333300033033303
00033333333003333033
33333333333333300333
33333333033330333033
33333333033033330033
33333333330033333333
33300303333000033003
00003333330033300033
00003333000000003333
33333333333333300333
33333333033330333033
33333333033033330033
33300303333000033003
00003333330033300033
00003333000000003333
33333333300033033303
00033333333003333033
33333333333333300333
33333333033330333033
33333333033033330033
33333333330033333333
33300303333000033003
00003333330033300033
00003333000000003333

................................
Extravagância

- Ambrósio, apetecia-me algo,
excepcionalmente bom.

- Senhora, tomei a liberdade de consultar um especialista, e encomendei um opíparo desgosto de amor.

8.7.05

Destaque

George Steiner no Nocturno com Gatos.


Claude Monet, The Thames at Westminster - Westminster Bridge - (1871), óleo sobre tela, 47 x 72.5 cm (18 1/2 x 28 1/2"); Colecção Lord Astor of Hever; National Gallery, Londres.



Versos porque em Londres ...

IV.

Is there a consolation
For the joy that comes never again?
Is there a balm remaining?
Is there a refuge from pain?
Is there a balm to quiet
The shame and the grief and the stinging?
Only the sweet, strange sadness,
That is the source of the singing.


Robert Buchanan,London Poems

6.7.05

De Hemisfério para Hemisfério

My suggestion is that at each state the proper order of operation of the mind requires an overall grasp of what is generally known, not only in formal logical, mathematical terms, but also intuitively, in images, feelings, poetic usage of language, etc. (Perhaps we could say that this is what is involved in harmony between the "left brain" and the "right brain"). This kind of overall way of thinking is not only a fertile source of new theoretical ideas: it is needed for the human mind to function in a generally harmonious way, which could in turn help to make possible an orderly and stable society.

David Bohm, Wholeness and the Implicate Order, (London, Routledge, 1980), p.xiv

5.7.05

Repercussões da Dieta no Sistema Nervoso Central - Neurotransmissores

O regular funcionamento do sistema nervoso depende do grau de concentração dos neurotransmissores no cérebro. Determinadas substâncias alimentares, em particular os aditivos, podem provocar efeitos directos ou indirectos na neurotransmissão, casos da cafeína, da teofilina do chá, do glutamato monossódico, dos nitritos, ou do adoçante substituto Aspartame, entre outros.

As duas substâncias, referidas em primeiro lugar, são metil-xantinas, que bloqueiam os receptores de adenosina (tranquilizante). O glutamato monossódico, embora não atravesse a barreira hemato-encefálica, activa os receptores para o glutamato nas regiões cerebrais que não estão protegidas pela referida barreira, e no sistema nervoso periférico. Alguns dos sintomas decorrentes da ingestão de glutamato monossódico são a sede persistente e rigidez do pescoço. (1)

O glutamato é um neurotransmissor excitatório que desempenha funções importantes no encéfalo e na espinal-medula. Durante um AVC os neurónios pré-sinápticos privados de oxigénio libertam grandes quantidades de glutamato. O glutamato liga-se aos neurónios pós-sinápticos e estimula-os a produzir, em excesso, óxido nítrico NO, um radical livre, que se expande e danifica as células circunvizinhas. O óxido nítrico actua, também, como um vasodilatador, sinaliza o relaxamento do músculo liso vascular. (2)

Os nitritos muito usados, na qualidade de conservantes, nos produtos de carne, podem funcionar como dadores de óxido nítrico, facto que potenciará a ocorrência de enxaquecas. Neste sentido, afirma William A. MacKay: (3)


“Um facto indiscutível emergiu dos estudos acerca dos efeitos dietéticos sobre a síntese de neurotransmissores: o equilíbrio entre os aminoácidos plasmáticos é essencial. Os produtores alimentares que perturbam o equilíbrio aminoacídico resultam seguramente em problemas. O glutamato monossódico é um exemplo óbvio. O adoçante substituto ‘Aspartame’ (asparto mais fenilalanina) eleva de forma significativa os níveis de fenilalanina no SNC, elevação essa que é acentuada pela ingestão concomitante de carbo-hidratos (um bolo com a sua cobertura dietética.”


[Caso dos doces preparados com Canderel, em substituição do açúcar, descritos nos livros do embirrante Goucha …]

Há dados experimentais comprovativos, que a produção das quatro aminas primárias, a serotonina, a dopamina, a noradrenalina e a acetilcolina é condicionada, entre outros factores, pelo tipo de alimentação. A dopamina e a noradrenalina são sintetizadas a partir da tirosina e fenilalanina (a fenilalanina é metabolizada em tirosina), a serotonina é sintetizada a partir do triptofano e a acetilcolina é sintetizada a partir da colina.

O tipo de alimentação influencia os níveis de tirosina, colina e triptofano no cérebro, e a síntese cerebral de neurotransmissores . No entanto, não se pode estabelecer, uma relação directa pois a insulina está, também, envolvida no controlo dos níveis de aminoácidos.

A tese mais divulgada preconiza que a ingestão de carbo-hidratos aumentará a quantidade de triptofano no cérebro, onde ele será transformado em serotonina (neurotransmissor bastante conhecido como "substância química calmante").
Assim sendo, uma refeição rica em carbo-hidratos, na medida em que desencadeia a libertação da insulina, produzirá um aumento de triptofano e serotonina no cérebro. A admissão do triptofano plasmático no cérebro é facilitada, porque a libertação da insulina leva a uma redução nos níveis sanguíneos de outros aminoácidos grandes que competem com o triptofano no que se refere à captação cerebral. Desse modo o triptofano pode passar para o cérebro sem competição, pois o triptofano, a tirosina e outros aminoácidos neutros grandes, como a fenilalanina, passam para o cérebro através de um sistema de transporte comum. Estes aminoácidos competem entre si no que se refere à entrada no cérebro. Como a maioria das proteínas alimentares têm baixos níveis de triptofano e quantidades muito maiores de outros aminoácidos, uma refeição rica em proteínas, embora aumente os níveis sanguíneos de triptofano, retarda a captação de triptofano no cérebro por aumentar desproporcionalmente as concentrações plasmáticas de outros aminoácidos que competem com o triptofano. Embora, o triptofano seja um aminoácido constitutivo de todas as proteínas completas como a carne, o leite e os ovos, após uma refeição rica em proteínas, pouca quantidade daquele aminoácido alcança o cérebro, devido à competição com outros aminoácidos.

[Por isso, nada de abusar do goulash e da torta Dobos ...]

A colina e a lecitina, presentes nos ovos, no fígado e na soja, afectam de maneira favorável o funcionamento do cérebro. Recorremos, novamente, ao saber de William A. MacKay: (4)

“ A produção de serotonina está directamente relacionada com a concentração plasmática de triptofano, mais especificamente com a relação, no sangue, entre o triptofano e outros grandes aminoácidos neutros, uma vez que todos competem para os mesmos transportadores da barreira hemato-encefálica. A produção de acetilcolina aumenta à medida que o nível de colina plasmática sobe, desde que os neurónios colinérgicos estejam activos nessa altura. O mesmo se passa com a síntese de catecolominas e a tirosina. A lecticina, presente nos ovos e nos grãos de soja, é a maior fonte diatética de colina. A síntese da serotonina aumenta com uma alimentação rica em hidratos de carbono, pois esta eleva os níveis de insulina e resulta no incremento dos níveis de triptofano no plasma e no líquido cefálico-raquidiano. O Prozac(…) eleva o nível de serotonina na fenda sináptica através do bloqueio da recaptação. Porém a sua eficácia pode ser revertida por uma dieta pobre em triptofano, que limita a síntese de serotonina.”

A serotonina ajuda a regular as sensação de dor, do apetite, do humor e do sono. Níveis elevados de serotonina estão associados a alterações positivas nos padrões do sono e do humor, bem assim como a uma redução das sensações de dor. Baixos níveis de serotonina foram detectados em pessoas com um limiar elevado de dor, sob estados depressivos ou com problemas de insónia.

Alvitrou-se que a sacarose possibilitaria a libertação de endorfinas. Hipótese que explicaria a tendência para consumir doces nos períodos de stress.

Os vegetais vestidos de amarelo, verde e escarlate são importantes fornecedores de vitaminas - A, C e algumas do complexo B - a ingestão equilibrada destes vegetais suprimirá as carências vitamínicas. Preconiza-se -se que uma “injecção” bem doseada de vitaminas influenciará, positivamente, o estado de espírito.

Os vegetais de folhas verdes e algumas leguminosas são, também, fontes de ácido fólico, que é considerado um antidepressivo. A redução do nível de ácido fólico no organismo, pode baixar os níveis cerebrais de serotonina. Todavia, quantidades exageradas do mencionado ácido provocam um efeito tóxico.

As carnes, os cereais integrais e a levedura de cerveja oferecem-nos, graciosamente, vitamina B6, presente que se reflectirá no humor tal como acontece com ácido fólico.

Os tão cobiçados mariscos também podem melhorar o humor, pois apresentam um elevado teor de selénio. Coloca-se a hipótese que a sua actuação se deva aos efeitos antioxidantes do selénio. Uma boa desculpa para dar largas à gula e dispender fortunas sem remorsos.

É fundamental frisar, que os precursores dos neurotransmissores interagem entre si. Por exemplo, as terapias que visam incrementar a síntese de serotonina, como a administração de triptofano ou uma refeição rica em carbo-hidratos, em contrapartida, podem reduzir a captação de tirosina pelo cérebro e, desse modo, a síntese cerebral de noradrenalina.



Esquizofrenia e Dieta

Sobre este tema, mais uma vez, citamos MacKay:

“ Os níveis elevados de L-metionina circulante repercutem-se em muitos outros aminoácidos; diminuindo o aspartato , o glutamato, a serina, a trionina, o GABA [ácido gama-amino-butrírico], a alanina, a glicina e aumentando a lisina, a glutamina e a cistationina. A esquizofrenia ocorre frequentemente em famílias com elevados níveis sanguíneos de metionina (embora nunca se tenha provado uma relação causal). Em casos de esquizofrenia com início na adolescência, a dieta é um factor de suspeição que deve estar na primeira linha do ataque terapêutico.” (5)
Ler também este artigo.

A observação que a mescalina (substância de efeitos fortemente alucinógenos) tem a mesma estrutura química de certas substâncias encontradas normalmente no nosso organismo, já há algum tempo vem fazendo os pesquisadores acreditarem que haveria uma toxina responsável pela esquizofrenia, e que esta substância teria um componente químico derivado destas substâncias e semelhante a mescalina, o LSD-25 e outras substâncias alucinógenas. Na verdade a comparação entre a estrutura da mescalina e destas substâncias mostra que a primeira apresenta um grupo metil (CH3), não presente nas segundas.Esta hipótese recebeu algum suporte quando se observou que a metionina, que serve de doador de grupos metil, tende a exacerbar sintomas psicóticos em pacientes esquizofrênicos. Mais recentemente pesquisas mostraram que existe normalmente no organismo do homem uma enzima capaz de metilar substâncias convertendo-as em substâncias aluginógenas. É possível, então que essa enzima esteja constantemente produzindo tais substâncias, que, no entanto, são inativadas por outra enzima chamada monoamina oxidase; se essa enzima estiver em níveis baixos nos esquizofrênicos, estes alucinógenos podem acumular-se, gerando os sintomas.
Vera L. Amaral



Notas

(1) William A.MacKay, Neurofisiologia Sem Lágrimas, (Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1999), p. 29.
(2) Rod Seeley; Philipe Tate Trent, Anatomia e Fisiologia, (Lisboa, Lusodidata, 1997), pp.396-340.
(3) Ibid.
(4) Ibid
.
(5) MacKay, op.cit. pp. 29-30
Outra Bibliografia:

Raymond Adams; Victor Maurice; Allan H. Ropper, Neurologia, Compêndio, (Rio de Janeiro, Mc Graw Hill, 1999).
Mark F. Bear; Connors Paradiso, Neuroscience, Exploring the Brain, (Pensylvania, William Willis, 1996).

3.7.05

Milagres Diários - nada nos garante que o sol irá "nascer" amanhã

A luz crua do amanhecer a apropriar-se do meu quarto; a doçura do crepúsculo a dourar a sala.
Sublimação

Fazia-lhe bem apanhar os outros em falta, por isso decidiu ser inspector.

2.7.05

Primeiro Grande Concurso "Confidências e Desabafos de Savarin" sobre Curiosidades da Gastronomia

No intuito de promover a cultura gastronómica, e com o glorioso objectivo de descobrir talentos nesta área, decidimos criar uma prova, dirigida aos pacientes leitores deste blogue.

O presente concurso tem duas fases e três chamadas. A primeira fase é composta por duas chamadas e a segunda, apenas por uma. Os exames decorrerão durante o mês de Julho. Podem deixar as respostas na caixa de comentários ou enviar por e-mail.Quem tiver o maior número de respostas certas, após a realização de todas as provas, receberá um exemplar virtual da Physiologie du Goût. Abrimos o concurso com um leque de sete perguntas subordinadas à articulação entre história e gastronomia:

Primeira Chamada da Primeira Fase


1. Descreva a relação de Alexandre Magno com as macedónias, quer de legumes, quer de frutas.

2. Explicite a ligação entre a "marmalade", aquele doce/geleia com cascas de laranja finíssimas, que os ingleses adoram, e a Maria Stuart.

3. O que terá levado Vatel a cometer suicídio, de acordo com Madame de Sévigné?

4. Identifique a rainha, outra cabeça lançada ao ar, considerada uma verdeira especialista a preparar merengues.

5. Explique o que é uma Pavlova, e porque se chama assim.

6. Qual a razão de ser do "Pêche Melba"?

7. Comente a expressão "à la Parmentier."
Confidências e Desabafos de Savarin (103)

Doces e Compotas Micaelenses

Os doces e compotas caseiros de amoras silvestres,araçás, capuchos (Physalis peruviana), nêsperas, figos e uvas, que se fabricam em S.Miguel, e nos Açores em geral, são uma verdeira perdição para os lambareiros.

Hoje deixo aqui o de nêsperas, uma vez que tenho deparado com elas por aí.

Doce de Nêsperas

Ingredientes:

2kg de nêsperas
2kg de açúcar

Preparação:

Descascar e descaroçar as nêsperas, levar ao lume com água. Deixar ferver, ligeiramente. Escorrer a água da fervura. Depois de enxutas, misturar com o açúcar, num recipiente de louça, onde se devem manter durante 2 ou 3 dias. No final deste período, submeter a 2 ou 3 fervuras, deixando engrossar na última até espessar, mexendo sempre para não pegar.
Um Grito de Admiração:

- Mamã olha, olha! O tio Savarin viajou até à Hungria, e comeu todas estas tantas tortas!
Pastorear pastando

Vou dedicar-me à pastorícia. O Ócio é o meu pastor, nada me faltará.
Confidências e Desabafos de Savarin (102)

Bolo de Cerejas



Cézanne, Natureza morta com prato de cerejas
1885-87 (160 Kb); óleo sobre tela, 58.1 x 68.9 cm (22 /78 x 27"); Los Angeles County Museum of Art; Venturi no. 498

Como estamos no tempo das cerejas, deixo aqui um dos bolos da minha lista de doces preferidos, provei-o pela primeira vez na casa de uma vizinha que servia, sempre, bolos fora de série.

Bolo de Cerejas

Ingredientes

Massa


250 gr de açúcar
275 gr de farinha
12 colheres de sopa de leite fervido com uma vagem de baunilha
50 gr de manteiga
3 ovos

Xarope de cerejas

250 gr de açúcar
2 chávenas de cerejas descaroçadas
manteiga q.b.
1 cálice de kirsch

Preparação

Bater as gemas com o açúcar e a manteiga, deitar o leite, a farinha e por fim as claras em castelo.
Levar ao forno em forma untada com manteiga e polvilhada com farinha. Logo que sai do forno cobre-se com o seguinte xarope de cerejas:

Colocar os frutos numa caçarola com a manteiga e o açúcar, deixar cozer lentamente, até extrair o sumo das cerejas. Deixar espessar e acrescentar o kirsch.

*******

O prato de alperces, em segundo plano, no quadro de Cézanne, acima reproduzido, fez-me recordar uma óptima e calórica, tarte destes frutos, também designados por alperches e por damascos.

Tarte de Alperces

Ingredientes:


1 caixa de massa folhada congelada
125 gr de manteiga
125 gr de açúcar
2 ovos
125 gr de avelãs moídas
50 gr de farinha1 colher de sopa de kirsch
400 gr de alperces descascados e descaroçados, frescos ou enlatados
1 colher de sopa de geleia de alperce
pistachios

Preparação:
Derreter 15 gr de manteiga. Pincelar com manteiga uma forma de tarte com fundo amovível com 25 cm de diâmetro. Tender as folhas de massa de modo a ficarem muito finas. Cortar em quadrados de 20 cm e pincelar com a manteiga derretida. Forrar a base e os lados da forma com os quadrados de massa, sobrepondo-os. Dobrar os bordos irregulares para dentro.

Bater a restante manteiga com o açúcar até ficar cremosa. Bater os ovos e adicionar pouco a pouco, misturando bem. Juntar as avelâs moídas, a farinha e o kirsch. Deitar o creme na massa, espalhar bem. Distribuir as metades dos alperces sobre o recheio, com a parte redonda para cima. Colocar a forma num tabuleiro e levar ao forno a 220º durante 10 minutos. Reduzir a temperatura para 190º e deixar cozer durante 20-25 minutos até ficar dourada.
Aquecer a geleia de alperce, retirar a tarte do forno, pincelar com a geleia, polvilhar com os pistachios picados. Deixar arrefecer na forma durante 15 minutos; retirar o aro, arrefecer sobre uma rede. Servir morna ou fria, consonte a estação do ano.

1.7.05

Erik Satie (1866-1925)

Aqui *****
Confidências e Desabafos de Savarin (101)
O Prometido é devido ...

Goulash (Jules Bond)

Ingredientes:

1 cebola grande picada
1 dente de alho esmagado
2 colheres de sopa de banha
1 1/2 kg de carne de vaca cortada aos cubos
1/2 de colher de sopa de sementes de alcarávia
1/4 colher de sopa de manjerona
1 colher de sopa de paprika
1 tomate pelado e sem sementes,picado
1 pimento verde sem pevides, cortado aos cubos,
1 colher de sopa de vinagre
8 chávenas de água quente
sal
pimenta


Preparação:


Aquecer a banha, adicionar a cebola e saltear até que a cebola comece a ganhar cor. Juntar a carne e saltear, durante 10 minutos. Acrescentar o alho, a alcaravia, sal, pimenta, paprika e manjerona, misturar bem. juntar as 8 chávenas de água, tapar e deixar cozer, lentamente, durante 1 hora. Juntar o tomate, a pimenta e o vinagre, deixar estufar mais 30 minutos até que a carne fique tenra.

Servir com batatas cozidas.



DOBOŠ TORTA

Ingredientes

Massa:

10 ovos
250 gr de açúcar
250 gr de farinha

Creme/recheio de chocolate

500 gr de manteiga
500 gr de icing sugar
200 gr de chocolate

Facultativo:

3 colheres de sopa de café bem forte
essência de baunilha 1 pitada (ou um pacotinho de açúcar baunilhado)
1 ovo batido



Caramelo


200 gr de açúcar

Preparação

Massa:

Separar as gemas das claras. Bater as segundas em castelo e juntar 200 gr de açúcar, continuar a bater. Misturar as gemas com 50 gr de açúcar até ficarem espumosas. Adicionar, gradualmente, a gemada às claras, e acrescentar a farinha. Mexer bem.

Untar e polvilhar com farinha uma forma baixa, verter um pouco de massa e cozer durante dez minutos no forno a 250º. Fazer dez camadas. Deixar arrefecer. Reservar as 3 melhores para o topo do bolo.

Creme e caramelo:

Bater a manteiga até ficar em creme, juntar o açúcar com a baunilha e o ovo inteiro. Derreter o chocolate adicionar ao creme de manteiga com o café. Deixar arrefecer. Barrar os bolos com o creme, colocá-los uns sobre os outros, barrar também os lados do bolo. Não se barra a última camada que é colocada sobre papel manteiga ou uma rede.
Levar ao lume os 200 gr de açúcar até ficar dourado. Verter, imediatamente, colheradas deste caramelo, sobre a camada do topo. Alisar com uma espátula de metal, ou uma faca untada com manteiga e dividir em porções iguais. Quando o caramelo endurecer, colocar sobre as outras. Por no frigorífico antes de servir.
Confidências e Desabafos de Savarin (100)


Hora Verde (3)

2 Sopas e 1 Salada

Sopas de Vegetais Triviais, com um Toque Exótico: Harmoniosas Combinações *****



Sopa de Cenoura e Maçã


Ingredientes:

500gr de cenouras
1 ou 2 maçãs
2 cebolas médias
1 dente de alho
1 pedaço de gengibre
4 colheres de sopa de manteiga
2 colheres de sopa de farinha
1 de colher sopa de caril
7,5 dl de caldo de vegetais ou galinha
2 dl de natas
1 gema
sal
cebolinho
erva cidreira

Preparação:

Descascar e ralar cenouras, maçãs e gengibre. Derreter a manteiga e fritar o dente de alho + cebolas, descascados e picados, levemente. Juntar as cenouras, as maçãs e o gengibre, por um minuto mexendo sempre. Polvilhar com farinha e caril, misturar bem, verter o caldo por cima. Deixar cozer em lume brando, tapada. Bater a gema com as natas e acrescentar à sopa, fora do lume, cuidadosamente, para não talhar. Temperar com sal. No momento de servir decorar a sopa com o cebolinho e a erva cidreira picados.

Nota: É de salientar a textura diferente desta sopa. Versões mais rápidas e menos calóricas, consistirão - entre outras hipóteses ao gosto do freguês - em não adicionar a gema e as natas, ou em cozer os vegetais em água, sem fazer o refogado inicial com manteiga, e reduzir tudo a puré, no final da cozedura. Mas, deixará de ter a tal textura peculiar.

Sopa Divina de Cenoura, Tomate e Cardamomo

Ingredientes:

10 cápsulas de cardamomo (esmagados no almofariz, enrolados numa gaze ou musselina, devidamente atada)

500gr de tomate pelado, sem pevides e cortados
500 gr de cenouras descascadas e picadas

3 colheres de sopa de azeite
2 cebolas picadas
1 1/2 l de caldo de vegetais
pimenta preta moída
coentros ou salsa picados

Preparação:

Deitar o azeite no tacho, juntar a cebola até ficar transparente. Adicionar as cenouras e o tomate, deixar cozer durante 2-3 minutos, mexendo sempre.Acrescentar o caldo e a boneca de cardamomo. Quando começar a ferver, baixar o lume, deixar cozer durante 30 minutos. Retirar a boneca de cardamomo. Reduzir a puré. Reaquecer. Manter quente até servir. Se necessário adicionar mais líquido.
Temperar com sal e pimenta, polvilhar com coentros ou salsa e servir logo.



Salada Maçarico

Ingredientes

(tudo q.b.)

alfaces sortidas e rúcula
cebola cortada às meias luas finissimas
azeitonas pretas descaroçadas
coentros
queijo ralado
azeite
sumo de lima
cominhos moídos
sal
pimenta preta moída

Numa saladeira, juntar as folhas verdes, a cebola, os coentros e as azeitonas. Bater o azeite, com o sumo de lima, os cominhos, o sal e a pimenta preta moída. Deitar este molho sobre a salada e misturar. Acrescentar o queijo ralado.
O Ateísmo como Traço de Personalidade

Aos oito anos, quando me preparava para fazer a primeira comunhão, interroguei-me sobre as causas de não experimentar qualquer tipo de emoção, de especial elevação, ou de fervor religioso. Em suma, de não ser iluminada pela chama da fé. Durante, e após o ritual de tomar a hóstia consagrada, nada se passou de inusitado, a indiferença persistia. Pensei, que a explicação para tão estranho fenómeno, se encontraria na célebre máxima bíblica: " Porque são muitos os chamados e poucos os escolhidos" (Mateus, XXII: 1-14), decididamente, eu não figurava no elenco dos "Eleitos do Senhor". Procurei auto-converter-me, com rezas e meditações, leituras de hagiografias, mas o fruto destas tentativas traduzia-se numa cada vez mais profunda descrença. Como nasci, e passei a infância e adolescência em Ponta Delgada, cidade muito influenciada pelo catolicismo - acresce que a minha mãe professava, nesse período, uma fé incondicional na doutrina da Santa Madre Igreja Católica Apóstólica Romana - segui o itinerário/via-sacra típicos: baptismo, catequese, confissão, primeira comunhão, profissão de fé, crisma. Fiz retiros espirituais, leituras sistemáticas da Bíblia Novo - do Novo e do Antigo Testamentos - de textos dos Doutores da Igreja, de vidas de santos, como já referi, de obras de proselitismo, de teologia, e assim por diante. A Fé não queria nada comigo, ou a inversa, ou ambas.

Mais tarde, procurei conhecer os princípios, textos fundamentais, e ritos de outras confissões, para chegar à conclusão de que me sinto uma extra-terrestre no mundo da religião e, já agora da mística e do esoterismo.

Todavia, devo dizer que gosto muito de frequentar templos - de preferência desertos ou quase - mas por razões estéticas. Casos da Igreja Matriz ( S.Sebastião) e da Igreja do Colégio, ambas de Ponta Delgada, da catedral de Trondheim, das Sés de Évora, Lisboa, da Guarda, de Viseu, da Fraumünster Zürich, onde se contemplam vitrais de Chagall, da igreja das Sete Cidades, do Convento de Cristo, em Tomar, entre tantos outros espaços "sagrados".

Para rematar uma tradução do famoso texto do sofista Crítias, Sísifo -Fragmento B 25.

Houve um tempo, quando sem ordem era a vida humana, e bestial, dominada pela força, um tempo em que não existia prêmio para os bons, nem castigo para os maus.

Em seguida, penso que os homens emanaram as leis para punir, para que a Justiça fosse senhora igualmente absoluta de todos e tivesse como discípula a Força; e fosse punido toda pessoa que pecasse.

Mas dado que as leis desencorajavam os homens a cumprirem delitos explícitos, mas não às escondidas, então, suponho eu, um homem sábio de mente e engenhoso inventou para eles o temor dos deuses, de tal forma que existisse um espantalho para os malvados também para o que fizessem às escondidas, pensassem ou dissessem.

Para atingir a mente dos homens estabelecia a morada dos deuses lá donde sabia que vinham aos mortais os sustos e os consolos para sua mísera vida: da esfera celeste, onde via os raios, onde ouvia os horrendos trovões e o corpo estrelado do céu, obra admiravelmente vária de um artífice sábio: o Tempo; aí caminha fúlgida a massa quente do Sol, e desce sobre a terra a úmida chuva.

Assim, agitando tais sustos diante dos olhos dos seres humanos, e servindo-se deles, construiu, como artista, com a palavra, a divindade, colocando-a num lugar adequado a ela; e derrotou com as leis a ilegalidade.

Por este caminho, portanto, eu creio que no princípio alguém tenha persuadido os seres humanos a crerem na existência dos deuses.