27.4.05

Thoughts

Through the brigth morning,
Through the twilight hour,
Through the long nigth,
I keep you
in my love's foliage.

25.4.05

Solipsismo

Só eu existo, e sou um sonho de mim própria.

24.4.05

Os Desastres de Helena

Ontem ao fim do dia, quase parti o nariz, ao bater com a cara contra a porta de um dos armários da cozinha, que uma alma caridosa deixara aberta e a minha distracção não previu. Agora tenho uma linda ferida na base da cana do nariz... Uma outra vez, não sei como, ao abrir também um outro armário de uma outra cozinha, fiz uma performance extraordinária: um pirex rectangular, envolto num cesto de vime, com base de platex, caíu em cheio sobre o meu nariz, nenhum dos dois se quebrou. Embora, tenha ficado por demais favorecida, com um nariz de lutador de boxe.

So what's the story?
So what's new about love?


Draw me after You!

Draw me after You!
We will run in the fragrance of Your perfumes,
O heavenly Spouse!
I will run and not tire,
until You bring me into the wine-cellar,
until Your left hand is under my head
and Your right hand will embrace me happily
and You will kiss me with the happiest kiss of Your mouth.


Santa Clara de Assis



Tempo Noites Brancas

Os breves minutos antes do comboio parar na estação.

22.4.05

So what´s the story?
What's new about gaze?

Da Luz que os meus olhos fitam


A luz particular deste fim de tarde, nos lugares de culto "desta Lisboa que amo". O cheiro das flores de laranjeira, de duas rosas gálicas e de um ramo de cedro. Boas novas. O êxtase assalta-nos, assim, de súbito, como quem chega do nada e diz-nos quem somos, porque somos e para onde vamos.

21.4.05

Coincidências

Acabei de verificar que Amélia vai ausentar-se,Helena e Soledade já foram chamadas a cumprir o ritual da passagem de testemunho...é o que se chama pontaria!!!

20.4.05

Passagem de Testemunho

O Testemunho foi-me passado pela
Brigida. Só agora dou continuidade ao ritual, devido a muito trabalho e a uma invasão implacável de vírus, mas como "mais vale tarde do que nunca", aqui vai:

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?

As Noites Brancas de Dostoievsky.

Já alguma vez ficaste apanhadinha(o) por um personagem de ficção?

Por vários, por exemplo Goldmundo de Narciso e Goldmundo de Hermann Hesse.

Qual foi o último livro que compraste?

O Fantástico Mundo de Alice-Estudos sobre a Puberdade Feminina de Celeste Malpique.

Que livros estás a ler?

O Fantástico Mundo de Alice , Manual de Psiquiatria Clínica J.C.Dias Cordeiro, Cartas Filosóficas de Voltaire.

Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?

Verão em Baden-Baden de Leonid Tpsíquin; O Jardineiro do Rei de Frédéric Richaud; Leviathan de Paul Auster,; Memórias de Adriano de Marguerite Yourcenar; O Fausto de Thomas Mann ou A Metafísica de Aristóteles ...

A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?

Vou passar o testemunho às seguintes bloggers de primeira categoria:

Amélia
Helena
Soledade


Porque gosto muito dos seus blogs e são leitoras de inegável refinamento e profundidade.
Romeu e Tristão amaram demais?

Causa-me arrepios ouvir falar de tretas do tipo: "Mulheres que amam demais". São só as mulheres que sofrem deste mal? Não há homens que aturam todo o tipo de birras e continuam obsecados pela mulher que as faz? Será que se pode amar demais? Ou não se estará a confundir amor com certas disfunções comportamentais que não se aplicam apenas ao tipo de afecto designado por amor?

19.4.05

So what's the story?
What's new about lust?
Furor uterino


Eis a descrição de uma doente que padecia de furor uterino citada por Bienville, na sua obra intitulada, muito justamente Nymphomanie ou Traité de la Fureur Utérine, (Paris, Office de LIbrairie, 1886):

Não sentia desejo por ele em si, apenas uma necessidade localizada de fricção. De cócoras, as pernas em arco, evitava tocar-lhe e ser tocada. Sem usar as mãos introduzi o sexo dele no meu, e iniciei uma série de movimentos até ao orgasmo. Afastei-me, limpei-me e virei-lhe as costas.

So what's the story?
So what's new about desire?



When I regard my naked boby
I just see your's
When I'm racing fire
I just feel your touch

By all my woes
Am I charmed
And I should die
of pleasure were I any happier

17.4.05

So what's the story?

What's new about ...

True to life or just a lie?

Uma Semana Depois...


E já lá vai uma semana sem passar por aqui. O recato deveu-se, como diria Freud às minhas sucessivas manobras de canalização das pulsões da líbido para actividades aceites socialmente - numa palavra, sublimação - caso da escrita de artigos de grande profundidade epistemológica e da realização de entrevistas a sumidades da psiquiatria portuguesa. Acresce que os meus arqui-inimigos conseguiram entrar no meu computador no intuito de me impedir o acesso à net, e assim divulgar as minhas subversivas mundividências.

10.4.05

Lovely Scents

Nectarine blossom.
Do Perpétuo Confinamento e da Calúnia Infame

E lá se passou mais um fim de semana confinada aos portões do Júlio,o malfadado hospital, dando forma gráfica aos meus protestos e lendo a História da Loucura na Idade Clássica,do meu guru Michel Foucault - Louis Foucault, não convence... não é? Acho que vou abandonar a obsessão pelos luises e mudar de letra, até porque a bem dizer, eu só amei, com convicção, o primeiro Luis da lista, o querido Luis Ambrósio,de saudosa memória - no intuito de fundamentar as minhas queixas contra a instituição. Eis senão quando, me tiram o livro e o substituem por outro de uma conceituada psiquiatra portuguesa. (Claro que também irei contestar este atentado à minha sacrossanta liberdade de acção, irei gritar contra esta inenarrável intromissão nas minhas leituras,proclamar a minha visceral indignação perante este cercear crimoso da minha formação intelectual).
De qualquer modo, dada a minha insaciável curiosidade folheei a dita obra e deparei com a mensagem que pretendiam realmente transmitir-me, com a insinuação de que sofro de síndrome de dependência do álcool, vulgus, alcoolismo. Ora leiam lá e vejam com os vossos próprios olhos, se eu não tenho razão:

Estou a lembrar-me de um episódio insólito mas significativo, ocorrido com um doente alcoólico do Hospital Sobral Cid. Pretendia eu passar-lhe a mensagem dos perigos que enfrentava ingerindo vinho sem controle, como era seu hábito. Ao fim de me ouvir atentamente ao longo do internamento, no dia da alta, desabafou:
"A senhora doutora falou muito bem e eu até percebi, mas vou muito baralhado para casa, sem saber como hei-de matar a sede. Como é que eu posso começar a beber água, se ainda no outro dia lá esteve outra senhora, a falar muito bem para todos e a explicar que a água era tão perigosa que até era preciso fervê-la! Pensando bem, o vinho sempre é feito por mim e ao menos sei que é de confiança..."


Para que possam adquirir o livro e comprovar que a razão está mesmo do meu lado,e tudo isto não passa de uma conspiração, de uma tramóia execrável contra a minha identidade, dou-vos as indicações bibliográficas precisas:

Maria Manuela de Mendonça, Mais Vale Prevenir... Memórias de uma Época e de um Contributo para a Saúde Mental Infantil, (Coimbra, Minerva Coimbra, 2002), p.259.

Que despautério, que calúnia, que infâmia!Tenho que zelar pela minha reputação, pelo meu bom nome! Logo eu que só aprecio e bebo eau-de-vie aromatizada, apenas e tão somente, por moi-même!

Eu também:

"Sou muito optimista. Não acredito em nada mas faço como se acreditasse e ajo como se acreditasse." João dos Santos

Non sense

So far so close
Eyes running in
Blow up

7.4.05

Hierofania da linguagem ou coisas de místicos


Para vires a gostar de tudo,
Não queiras ter gosto em nada.
Para vir a saber de tudo,
Não queiras saber algo em nada.
Para vir a possuir tudo,
Não queiras possuir algo em nada.

Para vir ao que não gostas
Hás-de ir por onde não gostas.
Para vir ao que não sabes,
Hás-de ir por onde não possuis,
Para vir ao que não és
Hás-de ir por onde não és.

Quando reparas em algo,
Deixas de arrojar-te ao todo.
Para vir de todo ao todo,
Hás-de deixar-te de todo em tudo.
E quando o venhas de todo a ter,
Hás-de tê-lo sem nada querer.

Nesta desnudez acha o espírito o seu descanso
porque não cobiçando nada,
Nada o afadiga para cima e nada o oprime
para baixo porque está no centro
da sua humildade.


São João da Cruz, Obras Completas, (Fátima, Carmelo, 1977).

6.4.05


Confidências e Desabafos de Savarin (75)
Outras maneiras de cozinhar frango (2)


Cubos de frango Tom Collins

Inventei esta receita para um amigo que era perdido por gim, ou se perdia por gim...


Ingredientes:

1 kg de frango sem pele
2 dentes de alho
manteiga q.b
azeite ou óleo q.b
sal
1 limão
estragão fresco picado q.b
pimenta branca ou gengibre em pó q.b
2 cálices de gim

Preparação:

Cortar o frango aos cubos, temperar com o sal, os dentes de alho picados, o sumo de limão, o gim, as ervas e especiarias. Deixar marinar durante pelo menos 2 horas.
Juntar o azeite ou óleo + a manteiga. Levar ao forno, deixar corar, tapar com folha de alumínio para não secar demasiado. Se necessário, adicionar mais sumo de limão com mais gim, diluídos num pouco de água.
Confidências e Desabafos de Savarin (74)
Outras maneiras de cozinhar frango (1)

Almôndegas de frango

Amo estas almôndegas!!!

Ingredientes:

1 kg de peitos de frango sem pele
2 dentes de alho
pimenta branca q.b.
sal
paprika qb
1 pacote de na q.b.
10 cogumelos frescos
manteiga q.b
1 cebola - opcional

Preparação:


Picar os peitos de frango na picadora, juntar os alhos e a cebola também picados, a paprika, a pimenta e o sal.
Saltear as almôndegas na manteiga, juntar o vinho e os cogumelos em finas lamelas, e finalmente, já fora do lume adicionar as natas com cuidado para não talharem.

Nota: polvilhar com uma erva aromática tipo cebolinho, estragão, salsa, ou outra ao gosto do freguês fica sempre bem.
Esboço de um final feliz para Les liaisons dangereuses


O conde de Valmont casa-se com uma sua conterrânea e encontra o amor e a felicidade. Afinal, a busca até ali inglória da realização afectiva constituía o motor, o motivo oculto da sua conduta pautada pela perfídia. Nada mais prosaico.

A marquesa de Merteuil cria um antídoto contra o vírus da varicela, que se vem a revelar um elixir da eterna juventude, apaixona-se loucamente por um jovem lânguido e garboso, juntos descobrem o ponto G, aprofundam o seu conhecimento, promovendo a sua divulgação a nível internacional.

Os ex-amantes e cúmplices de pérfidos jogos sublimam a sua perversão através da troca de cartas escabrosas e da publicação de histórias obscenas e de escárnio e maldizer.[É impossível escapar completamente às inclinações maléficas].
Bem aventurança é quando:

passear num jardim à beira mar,
dar uma aula de Filosofia a 27 adolescentes,
ou adorar Afrodite,
proporcionam um estado equivalente de satisfação.

E, viva Jeremy Bentham!!!
Promenade Olfactive

Évocation d'un jardin au bord de la mer: le figuier, le cèdre, le pin se mêlent à l'oranger et au laurier.

Aforismo

O sentido da vida é não ter sentido.

4.4.05


Impressões

Foi bom regressar à escola.
É bom observar as flores e as folhas recém-nascidas das olaias.
Os portugueses deviam desenvolver uma veneração, pelas flores de olaia, análoga à que os japoneses sentem pelas flores de cerejeira. E, já agora, também poderiam comungar da primeira.

Notícias do Castelo

Hierofania da luz desta precisa manhã.

Impossibilidade

XY escreveu : - Ninguém te pode substituir.
XX pensou: - Aquele lugar comum: "ninguém é insubstituível," não passa de uma falsa verdade. Ninguém te pode substituir.
Belezas da Estação


Cydonia oblonga - Flor de marmeleiro

3.4.05

Platonismo

Ao fazer uso do corpo, a alma mergulha nos turbilhões desencadeados pelos sentidos, sendo arrastada para as realidades em contínuo devir, anda à deriva, ébria na perturbação e na vertigem, pois tal é a natureza dos entes a que se prende.
Aforismo
Mutações orgânicas

Um vírus agastado, em fase de entropia está a ser substituído por um novo vírus pleno de potencialidades.
As uvas estão verdes...

Naquela manhã, XX proclamou detestar pieguices e gente piegas, porque uma sua proposta afectiva fora recusada, precisamente, por uma pessoa que julgava piegas.
Aforismo

Gosto de andar à beira dos abismos, sabendo que vou tombar por ali abaixo, erguer-me de novo até ao cimo,só para me deixar cair uma vez mais, e recomeçar. É por isso que não tenho vertigens.

2.4.05

Caras amigas e amigos - incluindo as não-Luísas e os não Luíses.

Estive ausente, não por parte incerta, mas deambulando, eu mais o meu lótus azul ... por destinos conhecidos. Posso referir duas das paragens do meu itinerário. A Casa da Guia, onde almocei numa bela esplanada, que me fez sentir num dia de Verão em pleno Mediterrâneo, depois passei, também, pelo centro comercial da Mouraria, com o objectivo de comprar uma série de ingredientes para o Savarin preparar um jantar indiano no próximo fim de semana.Gosto de sentir todos aqueles aromas das especiarias e outros géneros ditos exóticos, enquanto aprecio toda aquela gente, de diferentes etnias, em grande azáfama, subindo e descendo as escadas carregada com sacos plásticos pretos a abarrotar de roupa e outros objectos para depois vender algures.
Perguntareis: - Mas, não estaveis confinada ao portão principal do Hospital Júlio de Matos?
Respondo: - Um psiquiatra de seu nome Luís ofereceu-se para me levar a passear, durante o fim de semana, e prometeu que me devolveria sã e salva ao portão principal do Hospital.